top of page
Line separator

PROJETOS 
AMAZON  FOREST!

As vezes o seu pouco é muito para salvar uma espécie em extinção ou quem sabe uma família uma criança que precisa de um auxílio e a única forma de alcançarmos esses objetivos é através da sua colaboração e seu apoio. DOE!

LOGO-AMAZON FOREST BRANCO.png

Salve a Arara Azul.

A arara-azul-grande é uma ave de grande porte, podendo chegar a 1 metro de comprimento, medindo da ponta do bico à ponta da cauda e 1,20 metro de envergadura, sendo mundialmente a maior espécie da família Psittacidae. Seu peso varia de 1,7 kg quando filhote a 1,3 kg quando adulto. Possui predominância do azul cobalto em suas penas, em degradê da cabeça para a cauda, sendo a parte debaixo das asas e cauda em preto. Além disso, apresenta um amarelo intenso nas pálpebras, ao redor dos olhos e na pele em torno da mandíbula. Seu potente bico é preto, grande e curvado e a sua língua apresenta a cor preta com faixa amarela nas laterais. 

Arara Azul
Arara Azul
Arara Azul
Arara Azul
Arara Azul
Onça Pintada
Onça Pintada
Onça Pintada
Onça Pintada
Onça Pintada

A onça-pintada é um superpredador, o que significa que está no topo da cadeia alimentar, e praticamente, seu maior predador é o ser humano. Entretanto, filhotes podem ser mortos por outras onças, jacarés e grandes cobras da família Boidae. É considerada uma espécie-chave nos ambientes em que vive, já que é importante no controle das populações de mamíferos herbívoros e mesopredadores, contribuindo para a manutenção da integridade dos ecossistemas florestais. Entretanto, predizer quel o efeito que a onça-pintada tem no ecossistema é difícil, principalmente no que se diz respeito ao controle de mesopredadores, pois os dados devem ser comparados com ambientes em que ela não ocorre, e controlar o efeito das atividades humanas em tais ambientes.

Último Suspiro Onça Pintada.

Nada de Peixe Boi da Amazônia.

Possui peso igual ou maior que 480 quilogramas, e seu comprimento pode atingir aproximadamente 3 metros, sendo considerado a menor espécie da ordem Sirenia. Dentre suas características marcantes está a ausência de unhas nas nadadeiras peitorais (membros anteriores), a presença de duas mamas próximas às axilas e manchas brancas na região ventral da maioria dos indivíduos adultos, mesmo tendo a pele variando predominantemente de cinza a preto. Sua pele é ondeada e enrugada, com dobras profundas ao redor da cabeça, na junção das nadadeiras e na base da cauda, a qual também possui espessura entre 8 e 16 mm coberta por pelos finos, sendo mais numerosos nas nadadeiras

Peixe Boi
Peixe Boi
Peixe Boi
Ariranha
Ariranha
Ariranha

A ariranha se distingue claramente das outras lontras por suas características morfológicas e comportamentais. Tem o maior comprimento corporal de todas as espécies da família dos mustelídeos, embora a lontra-marinha possa ser mais pesada. Os machos têm entre 1,2 e 1,7m de comprimento da cabeça à cauda e as fêmeas entre 1'm e 1,5m. A cauda bem musculosa do animal pode adicionar mais 70 centímetros ao comprimento total do corpo. Os primeiros relatórios de peles e animais vivos sugeriram machos excepcionalmente grandes de até 2,4m; a caça intensiva provavelmente reduziu a ocorrência de tais espécimes grandes. Os pesos são entre 26 e 32 quilos (57 e 71 libras) para machos e 22 e 26 quilos (49 e 57 libras) para fêmeas. A ariranha tem o pelo mais curto de todas as espécies de lontra; normalmente é castanho chocolate, mas pode ser avermelhado ou fulvo e parece quase preto quando molhado.

Ariranha a Onça D'água.

Vive a Amarelinha Ararajuba.

A guaruba (Guaruba guarouba ou Aratinga guarouba), também chamada de ararajuba, é uma ave psitaciforme endêmica do norte do Brasilameaçada de extinção. As aves chegam a medir até 35 centímetros de comprimento, possuindo uma plumagem amarelo-ouro com rêmiges verdes. Seus hábitos e ciclos de vida em estado selvagem ainda são pouco conhecidos, mas já foi obtida com sucesso sua reprodução em cativeiro. A população total não deve passar dos três mil indivíduos, e está em declínio, ameaçada pela destruição das florestas onde vive, e pela caça ilegal. Sua área de ocorrência diminuiu em 40% em relação à original.

Ararajuba
Gavião Rei
Gavião Rei
Gavião Rei
Gavião Rei

O gavião-real (nome científico: Harpia harpyja), também chamado cutucurim,  gavião-de-penacho, harpia, uiraçu, uiracuir, uiruuetê, uraçu, águia-brasileira  ou uiraçu-verdadeiro, é  uma ave acipitriforme  da família  dos  acipitrídeos (Accipitridae). É a maior e mais poderosa ave de rapina encontrada em toda a sua extensão e está entre as maiores espécies de águias existentes no mundo. Geralmente habita florestas tropicais de baixa altitude na camada superior (emergente) do dossel. A destruição de seu habitat natural fez com que desaparecesse de muitas partes de seu antigo território e estáquase extirpado de grande parte da América Central.

Gavião Rei da Amazônia

Gato Maracajá

O gato-maracajá, gato-do-mato, gato-peludo ou maracajá-peludo (nome científico: Leopardus wiedii) é um pequeno felino nativo da América Central e América do Sul. Solitário e noturno, vive principalmente em florestas perenes e decíduas. Desde 2008, foi listado como quase ameaçado na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) porque acredita-se que a população esteja diminuindo devido à perda de habitat após o desmatamento. Tem, como característica, uma cauda mais longa do que seus membros posteriores. Os seus pelos são amarelo-escuros nas partes superiores do corpo e na parte externa dos membros. Tem manchas sob a forma de rosetas com uma região central amarela por todo o corpo, da cabeça à cauda.

Gato Maracajá
Gato Maracajá
Gato Maracajá
Gato Maracajá
Cachorro Vinagre
Cachorro Vinagre
Cachorro Vinagre
Cachorro Vinagre

O cachorro-vinagre ou cachorro-do-mato-vinagre (nome científico: Speothos venaticus), também conhecido  como aracambé, jaguacininga, jaguaracambé,  janauíra ou januaíra, é uma espécie da família dos canídeos (Canidae) nativo da América do Sul, que é encontrado em florestas da Amazônia. Os cachorros-vinagre são carnívoros e caçam durante o dia, mesmo em cativeiro. Usam troncos ocos e cavidades como tocas de tatu como abrigo e têm uma área de vida de 3,8 a 10 quilômetros quadrados (1,5 a 3,9 milhas quadradas). Parecem ser a espécie de canídeo sul-americana mais gregária e há clara dominância dos pais sobre os outros componentes do grupo. A relação familiar entre esses animais é intensa a ponto de influenciar o ciclo reprodutivo.

A Raridade do Cachorro Vinagre.

Mico Leão Dourado

O mico-leão-dourado (nome científico: Leontopithecus rosalia) é um primata endêmico do Brasil, da família Callitrichidae e gênero Leontopithecus. Ocorre exclusivamente na Mata Atlântica brasileira, no estado do Rio de Janeiro, mas alguns autores já consideraram sua ocorrência no sul do Espírito Santo. Atualmente, são encontrados principalmente na Reserva Biológica Poço das Antas e na Reserva Biológica União, e vivem nos estratos mais altos da floresta. Podem ser encontrados em trechos de floresta secundária. Já foi considerado como uma subespécie, hoje é uma espécie propriamente dita, como as outras espécies de micos-leões. Evidências de estudos filogenéticos mostram que o mico-leão-preto é a espécie mais próxima do mico-leão-dourado. Não existem fósseis conhecidos da espécie.

Mico Leão Dourado
Mico Leão Dourado
Mico Leão Dourado
Tucano de Peito Branco
Tucano de Peito Branco
Tucano de Peito Branco
Tucano de Peito Branco

O tucano-de-papo-branco (Ramphastos tucanus) é uma espécie amazônica de tucano que mede entre 53 e 58 centímetros de comprimento e pesa entre 515 e 700 gramas. Apresenta o branco na garganta margeado de vermelho.

As coberteiras superiores da cauda são amarelo esbranquiçado, e o bico assume coloração vermelho escuro que gradua-se ao alaranjado. Tais aves são conhecidas ainda pelos nomes de pia-pouco, quirina e tucano-cachorrinho. Ocorre nas Guianas, norte do Pará, Amapá, Marajó, leste do Pará, ao sul do Rio Amazonas até o lado leste do rio Tocantins; atinge ainda o litoral do Maranhão.

Famoso Tucano de Peito Branco

DOE AGORA!

Protegendo as espécies mais vulneráveis da Amazônia.

bottom of page